quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O gato que ouvia rádio




Pimpão era um gato malhado, de olhos amarelos, um pouco gordinho, que vivia na casa de Dona Jussara, na beira do Rio Amazonas. Tinha uma vida boa: brincava assustando as galinhas, ganhava cafuné das crianças e ganhava pãozinho com os restos de peixe da família.

Mas de todas as coisas, o que mais gostava de fazer era se esticar na janela ouvindo rádio. Estava por dentro das notícias e das piadas e, enquanto se lambia, ensaiava abanar o rabo ao som da música animada.

Quando os outros gatos passaram pela janela, disseram logo:

- Miaaauuuu, pimpão, o gato bobão, não caça e só quer pão!

Pimpão ficou triste por ouvir aquilo.

- Miauuuuu preciso mudar, é hoje que aprendo a caçar!

Ele até pegou uns pintinhos, uns insetos... mas na hora de comer... aahhhhrrrrr, não conseguia! Pimpão só queria o peixe quentinho da Dona Jussara. E aí ficou triste, cabisbaixo, o dia todo num canto da sala, até sua dona o encontrar.

- Que foi Pimpão? O que você tem? Ah, vem cá amigão, sei o que vai te fazer bem!

E Jussara deitou na rede da varanda, de frente para o rio. Com o gato em sua barriga, alisava o bichano com todo o carinho. E ria ouvindo a rádio, conversava com os locutores, fechava os olhos ao som das músicas românticas...
E os bigodes do Pimpão viravam para cima, tamanho o sorriso em seu rosto:
- Que alegria, não existe coisa melhor nessa vida.

E os gatos vizinhos, a espiar o gatinho Pimpão ouvindo rádio:
- Miaaauuuuuuu, esse Pimpão não é de nada, ahahahaha, ele se acha bonito, ouvindo essa caixinha de barulho esquisito, miaaauuuuahahaha.

Pimpão escutou as risadas e viu os gatos irem embora. Junto com eles, estava Tica, gatinha de olhos amendoados, a dona do seu coração. Era nela que ele pensava quando ouvia Roberto Carlos.

- Ai que vergonha! Nunca mais escuto rádio! Vou deixar de ser pamonha!

Deu um pulo da rede que até assustou sua dona! Mas a prosa da locutora estava boa e Dona Jussara continuou na rede ouvindo seu programa favorito.
Pimpão disparou floresta adentro, decidido a levar uma grande caça para sua amada. E correu, correu, correu, e nada... Tentou passarinho, besouro, rato do mato... estava fora de forma, o gato cansado.

Foi aí que ele avistou um clarão no meio do mato. Uma casinha de madeira de onde saía um cheirinho de café e um chiado. O gato se aproximou e, cauteloso, deitou-se no chão, ao lado da janela de onde vinha o barulho do rádio. Queria escutar música pela última vez, mas ouviu uma coisa de arrepiar os bigodes. A voz no rádio alertava sobre o rompimento de uma barreira.

- Preciso avisar a todos! Os gatos da vila! Dona Jussara! Minha amada Tica!!

E Pimpão correu como nunca! Ao chegar, encontrou Dona Jussara que, sempre bem informada, já saia de casa com as crianças o cachorro e as galinhas.

- Pimpão, por onde você andou meu filho? Vai haver uma enchente! Precisamos subir o morro!!!

Mas Pimpão pensou nos outros gatos. Continuou correndo e quando encontrou os felinos, quase nenhum acreditou no que dizia. Apenas a Tica, que disse:
- Deixem de chateação, eu confio nesse gato Pimpão.

Ouvindo isso, os gatos mudaram de ideia e correram pelas ruas do vilarejo, juntos, o que chamou a atenção das pessoas e dos outros animais. Afinal, quando tem bicho fugindo, não vem boa coisa. E do que é que um gato menos gosta? Água!!!

E o povo da vila seguiu os bichanos até o alto do morro e de lá puderam ver a força da água destruindo tudo.

Pimpão olhou com tristeza para sua dona, que disse:
- Não fique triste Pimpão, o importante é que estamos vivos. Você é um gato muito especial. E olha só, no meio da correria, consegui salvar isso aqui!

- Miaaaauuuuu!

Pimpão deu um grito de alegria ao ver o velho radinho de pilhas!


E foi assim que de gato folgado, Pimpão passou a ser conhecido em toda a redondeza como o gato bem informado!
(Juliana Maya)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu recadinho!